-->

Ministro do STJ mantém prisão de Cristiane Brasil

22 Setembro 2020

Reprodução
Cristiane Brasil se apresentou à polícia no último dia 11, após ter a prisão preventiva decretada


O ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de

Justiça (STJ), manteve a prisão da ex-deputada Cristiane Brasil (PTB), em decisão na noite desta terça-feira (22). Ela está presa desde o dia 11 de setembro em decorrência de uma delação que a coloca como integrante de um suposto esquema de corrupção.


No domingo passado, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou soltar ou conceder prisão domiciliar para a ex-deputada. O ministro Paciornik entendeu, em sua decisão, não haver motivos para reverter a determinação do Tribunal de Justiça.

Christiane foi presa na segunda fase da Operação Catarata, do Ministério Público do Rio (MPRJ), acusada de receber propina quando comandou a Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida e de usar sua influência política mesmo depois de deixar a pasta. A acusação é baseada no depoimento do empresário Bruno Selem, que fez um acordo de delação premiada homologado pelo Tribunal de Justiça.

A ex-deputada, que cogitava se candidatar à prefeitura do Rio neste ano, se apresentou à polícia após ter sua prisão decretada e classificou a delação como "mentirosa".

"Ainda estou tomando ciência da denúncia, mas, pelo que sei até o momento, botam duas pessoas como sendo minhas 'mulheres da mala'. Sendo que uma delas, Sueli, eu nem tenho ideia de quem seja. A outra citada, a Vera, é minha amiga de anos e chefiou meu gabinete. Mas nunca participou de nenhuma irregularidade", disse Cristiane.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree