-->

Qual a importância do encarregado de dados, o DPO?

23 Fevereiro 2020

Muitas empresas têm seus dados pessoais. E é provável que algumas delas você nem saiba. O que elas têm feito com todas essas informações, que, afinal, pertencem a você, não a elas?

Essa

é uma das grandes discussões atuais quando o assunto é privacidade. Não à toa, leis têm sido aprovadas em todo o mundo para regular como o tratamento desses dados deve ocorrer.

Aqui no Brasil não é diferente. Em agosto, deve entrar em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, a LGPD. E ela vai mudar completamente a forma como as empresas vão se relacionar com as informações que armazenam.

O consultor George Silverio da Silva conta que uma das principais novidades é a chegada do DPO, o responsável por cuidar desse universo de informações. Aqui no Brasil, ele será conhecido como encarregado de dados. E como esse profissional vai atuar?

Em resumo, o DPO vai garantir que os dados armazenados na empresa sejam bem cuidados. E isso vai além da manutenção dos bancos de dados.

O encarregado de dados vai ter de assegurar que as informações guardadas pela empresa são usadas exatamente como ela declara que o são. Ou seja, de acordo com o que foi acordado com o titular desses dados, o consumidor.

Apesar de a LGPD já ter data para começar a valer, pouquíssimas empresas estão prontas para ela. Especialmente quando o assunto é o DPO: a verdade é que a grande maioria das companhias ainda tenta entender o que esse profissional faz.

Um dos entraves para a escolha do candidato ideal é o fato de a Autoridade Nacional de Proteção de Dados, que vai monitorar esse trabalho, ainda não ter sido efetivamente constituída pelo governo federal. E esse não é um processo fácil.

João Bruno Soares é DPO. Ele é sócio de uma empresa de marketing que usa informações como uma de suas matérias-primas.

Esse foi um dos principais motivos para que sua empresa rapidamente se adaptasse às regras da LGPD. Soares diz que a própria natureza do negócio requer a atuação constante de um encarregado de dados.

Nesse cenário de incertezas, é bastante provável que muitas companhias primeiro contratem um encarregado de dados terceirizado. Depois de entender melhor a atuação desse profissional e a forma como ele interage com as diferentes áreas da organização, elas poderão avaliar qual o impacto do trabalho dele em seu ecossistema.

Muitas mudanças devem ocorrer com a LGPD e o encarregado de dados, mas a principal delas é o fato de os dados serem tratados com mais zelo. Lembre-se de ficar atento à forma como suas informações são tratadas!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree