-->

Extinção em massa pode ter contribuído para surgimento de dinossauros

22 Setembro 2020

Com muito estudo durante anos e anos, o homem conseguiu descobrir diversas informações sobre a era dos dinossauros, entretanto, muito ainda é questionado sobre como a Terra era antes deste período. Mas
estudo revelado pela BBC na segunda-feira (21) pode oferecer algumas respostas sobre o assunto. Isto porque a pesquisa sugere que outro grande evento de extinção, ocorrido há cerca de 233 milhões de anos, pode ter dado origem e chance de vida aos dinossauros.Pistas indicam que estes seres apareceram graças a uma série de explosões onde hoje encontra-se a costa oeste do Canadá. Essa sucessão de detonações teria causado um massivo aquecimento global. Todo o ambiente teria alterado de forma radical a estrutura do nosso planeta, matando, inclusive, muitos dos tetrápodes dominantes na época.ReproduçãoEstudo indica que uma primeira grande extinção tenha acontecido devido a enormes explosões. Créditos: Purnomo Capunk/UnsplashLevando em conta que a extinção dos dinossauros ocorreu no período Cretáceo, há 66 milhões de anos, que geólogos e paleontólogos concordam com uma lista de cinco desses eventos, dos quais a extinção em massa do fim do Cretáceo foi o último, a descoberta torna-se totalmente inesperada.Denominado Evento Pluvial Carniano (CPE, na sigla em inglês), acredita-se que o episódio pode ter matado tantas espécies quanto o asteroide que extinguiu os dinossauros. A partir do CPE, a Terra passou por mudanças profundas no que diz respeito à plantas e herbívoros.Além disso, o estudo mostra que os dinossauros se expandiram rapidamente pelo espaço terrestre, tornando-se a espécie dominante do ecossistema. Vale destacar que a era dos dinossauros durou mais de 165 milhões de anos, sendo que em apenas 10 a 15 milhões de anos estes seres já haviam tomado conta do planeta.PistasIndícios deste evento já haviam sido percebidos por volta de 1980, todavia, na época, acreditava-se que ele havia sido restrito à Europa. De início, geólogos na Alemanha, Suíça e Itália reconheceram uma grande rotatividade entre as faunas marinhas há cerca de 232 milhões de anos.Já em 1986, houve o reconhecimento global do fato, o que indicou a solução à várias mudanças em escala planetária. De qualquer forma, a década de 80 reservava um processo lento de determinação de idade, tornando inviável saber se os dois eventos tratavam-se do mesmo.ReproduçãoEvidências da existência e extinção dos dinossauros já era conhecida pelo homem. O período antes desta era começa a ser desvendado somente agora. Créditos: James Lee/UnsplashA resposta para tantas perguntas ficou mais clara apenas quando o Reino Unido e partes da Europa admitiram um período de cerca de um milhão de anos de climas úmidos. O fato foi analisado juntamente com o CPE, exatamente no pico de erupções dos Wrangellia. Este termo é usado por geólogos para se referir a uma placa tectônica estreita que está ligada à costa oeste do continente norte-americano, ao norte de Vancouver e Seattle.A partir deste momento, com as evidências e outras pistas, o Evento Pluvial Carniano também foi reconhecido na América do Sul, América do Norte, Austrália e Ásia.ErupçõesA série de explosões que deu origem ao CPE vieram de enormes erupções que liberaram dióxido de carbono, metano e vapor d'água na atmosfera da Terra, o que levou a um grande aquecimento global e ao aumento das chuvas, inclusive ácidas, em todo o planeta. Oceanos rasos também sofreram acidificação.Este ambiente expulsou plantas e animais dos trópicos, além de ter matado grande parte da flora, enquanto a acidificação dos oceanos atacou todos os organismos marinhos com esqueletos carbonáticos. Após este período, especulações sugerem que a vida pode ter começado a se recuperar, mas as altas temperaturas terrestres foram outro obstáculo neste sentido.A subsequente secagem da Terra beneficiou não só o surgimento dos dinossauros, mas também marcou o início dos recifes de corais modernos.A desconhecida extinção em massa que mudou a Terra e permitiu que os dinossauros dominassem o planeta https://t.co/FnzmVLkWYo #G1 pic.twitter.com/K8xRdkLZPn— G1 (@g1) September 22, 2020Próximos passosA descoberta pode parecer o suficiente para explicar a origem dos dinossauros e como a Terra era antes deles, mas muitas etapas ainda estão pela frente. O ideal, neste momento, segundo Michael Benton, professor de paleontologia de vertebrados na Universidade de Bristol, é entender como este fato ocorreu de forma mais profunda.Benton explica que os geólogos precisam, a partir de agora, investigar detalhes sobre a atividade vulcânica encontrada em Wrangellia e como ela mudou nosso ecossistema. Os paleontólogos precisarão observar mais de perto este fato, comparando cada parte com dados de registros fósseis marinhos e continentais. O objetivo é que esta análise ajuda o homem a entender como a crise se desenrolou em termos de perda de biodiversidade, bem como explorar como a Terra se recuperou de tamanho impacto.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree