Após ‘Grease’, musicais ‘De Volta Para o Futuro’ e ‘O Guarda-Costas’ serão montados no Brasil

Premiado em Londres, o brasileiro Ricardo Marques será o responsável pela montagem dos espetáculos

Após ‘Grease’, musicais ‘De Volta Para o Futuro’ e ‘O Guarda-Costas’ serão montados no Brasil

Grease, O Musical” marca o retorno das produções brasileiras assinadas pela 4ACT, produtora comandada por Ricardo Marques. A montagem de “Castelo Rá-Tim-Bum, O Musical”, em 2019, foi o último espetáculo da empresa antes do retorno aos palcos este ano com um clássico do teatro musical e do cinema. “Grease” está em cartaz no Teatro Claro, em São Paulo, e a produção, que a princípio fica em cartaz até o fim de agosto, foi pensada para causar aquela nostalgia nos fãs do longa de 1978, que popularizou a história do musical e marcou a carreira de John Travolta e Olivia Newton-John. “É muito desafiador montar um musical como esse porque todo mundo conhece ‘Grease’ por causa do filme e as músicas são muito icônicas. É uma grande responsabilidade. A gente quis ser bem fiel ao longa, principalmente na parte do visagismo, que inclui perucas, maquiagem e cenários. Tudo foi pensado para remeter aos anos 50, época do filme”, comentou Ricardo em entrevista à Jovem Pan.  

Colocar todas as ideias e referências do filme no palco não foi uma tarefa fácil e isso fica claro na cena de Greased Lightning, no qual um automóvel vermelho é “reformado” em cena. “Pegamos um carro da época, um Ford 51 original, e repaginamos ele. Tivemos que cortar um pouco da lataria para diminuir o tamanho e tivemos que fazer outras adaptações, como tirar motor e refazer toda a parte de dentro. Foi um trabalho legal”, afirmou o produtor. Compor o elenco foi outro grande desafio. Foram 2 mil currículos enviados e 500 atores selecionados para as audições, tudo para chegar aos 23 talentos que estrelam o espetáculo. “Minha ideia foi ter um elenco jovem para que a gente conseguisse ter no palco atores com um perfil adolescente, diferente do filme, que traz um elenco um pouco mais velho. O legal de trabalhar com esse pessoal mais jovem é a energia que eles trazem, isso dá um frescor para o espetáculo e uma outra cara para o musical.” 

Cena do musical Grease

Musical ‘Grease’ está em cartaz em São Paulo, no Teatro Claro – Foto: Divulgação/Victor Miranda

Quando montou o musical “A Era do Rock” no Brasil, Ricardo optou por manter as músicas em inglês, mas em “Grease” ele seguiu por outro caminho. “No começo, fiquei na dúvida se fazia a tradução ou não porque as pessoas conhecem muito as canções, mas como se trata de teatro musical e a música conta a história, então foi necessário traduzir. Para quem curte as músicas em inglês, deixamos para o final do espetáculo um showzão com um mix das músicas originais”. A difícil missão de versionar esse clássico ficou a cargo de Silvano Vieira e Sofia Bragança, que conseguiram manter a essência das canções na trilha que conduz o clássico musical. Além da montagem brasileira, Ricardo também está com o espetáculo em cartaz na Broadway de Londres, conhecida como West End. “Antes de surgir a ideia de montar no Brasil, ele já estava em cartaz lá. São montagens bem diferentes, aqui criamos novos cenários, outros figurinos, novas coreografias e eu faço a direção. O cenário em Londres é mais fixo e abstrato. Aqui, é mais dinâmico e mais realista. Na questão de elenco, não muda muito. Temos grandes talentos aqui, assim como lá.” 

De Londres para o Brasil 

O brasileiro também está envolvido em outra grande produção, atualmente em cartaz em Londres, o premiado musical “De Volta Para o Futuro”, inspirado no filme de 1985. “Tudo começou com uma parceria com o Colin Ingram, um produtor de Londres. Ele me convidou para fazer esse espetáculo e topei. Fui o primeiro a estar com ele nesse projeto, depois nos associamos a outros produtores. Adquirimos os direitos autorais, começamos a fazer o texto, selecionamos o diretor, montamos a equipe criativa, participamos do desenvolvimento dos cenários, escolhemos o elenco e tudo mais”, contou Ricardo. O espetáculo venceu a categoria Melhor Musical no Olivier Awards 2022, prêmio considerado o Oscar do teatro musical de Londres. O espetáculo será montado na Broadway em 2023 e a montagem no Brasil está prevista para 2024. “Já tinha ido quatro vezes no quatro Tony Awards [principal premiação do teatro musical americano] assistir como espectador e já tinha ido duas vezes no Olivier, mas quando estamos com um espetáculo concorrendo é diferente, dá um nervosismo (risos). Quando ganhamos e subi naquele palco, foi muito emocionante, não esperava.”

Ricardo Marques no Olivier Awards

Ricardo Marques foi premiado no Olivier Awards por ‘De Volta Para o Futuro’ – Foto: Divulgação/Olivier Awards

“De Volta para o Futuro” conta a história de Marty McFly, um adolescente que viaja no tempo após um erro do cientista Doc Brown, que constrói uma máquina do tempo ao modificar um carro DeLorean. “O musical tem bastante efeito especial e visual. O efeito do DeLorean aparecendo e sumindo é muito legal. Tem umas telas no cenário que ajudam a dar a ilusão de que ele está correndo, é tudo muito moderno”, adiantou o produtor. A mescla de clássicos do cinema com o teatro musical é uma paixão clara de Ricardo, que já montou no Brasil a versão para os palcos de “Ghost, Do Outro Lado da Vida”. Encerrando a temporada de “Grease”, o brasileiro vai se dedicar à montagem de “O Guarda-Costas”, que tem estreia prevista para 2023. Até lá, o desafio do produtor não será apenas encontrar uma Rachel Marron, protagonista que no cinema foi eternizada por Whitney Houston. “Existe uma versão feita para os palcos que estreou em Londres [em 2012] e vamos adaptar essa versão. Estamos em busca de patrocínio e de teatro para definir quando vai estrear e como vamos viabilizar o projeto.” Vale pontuar que “Grease” está em cartaz sem patrocínio, sendo bancado apenas pela bilheteria.