Carlão destaca compromisso em solucionar a crise do Transporte Coletivo na Capital

Carlão afirmou que a intenção dos vereadores da Capital é ajudar a resolver a crise no transporte público. Saiba mais.

Carlão destaca compromisso em solucionar a crise do Transporte Coletivo na Capital

Em entrevista ao Jornal Bom Dia MS, da TV Morena – Rede Globo, na manhã desta quinta-feira (23), apresentado pelo jornalista Fabiano Arruda, o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), afirmou que a intenção dos vereadores da Capital é ajudar a resolver a crise no transporte público, encontrando uma solução entre todos os gestores envolvidos para que a população não arque com o aumento da passagem. Carlão reforçou que a Comissão Permanente de Transporte Público da Casa de Leis e ele como presidente da Casa estão participando das reuniões para evitar o aumento ou mesmo novas paralisações.

“Nós, vereadores de Campo Grande, estamos do lado do povo. Já no início deste ano, votamos a isenção do ISSQN ao Consórcio e o subsídio para as gratuidades, mas é preciso entender o momento que o país enfrenta com o aumento dos combustíveis. O Consórcio está sendo cobrado para que melhore o serviço oferecido e que não ocorram interrupções, porque esse problema é público, social, trata-se de um serviço essencial. Não impacta somente os motoristas ou uma questão administrativa da empresa Guaicurus. Impacta a cidade inteira, os trabalhadores, estudantes, todos que fazem uso do transporte público, o comércio, atinge a cidade inteira. Não podemos deixar que isso ocorra novamente e muito menos que a passagem aumente, penalizando ainda mais a população que não chegou a ter nem R$60 Reais de aumento no salário mínimo”, ponderou Carlão.

Questionado sobre a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar irregularidades no contrato com o consórcio do Transporte Coletivo, Carlão falou que é hora de resolver a crise.

“A CPI é instrumento que a Câmara tem para apurar irregularidades e que podemos usar, leva tempo e resulta em uma denúncia ao Ministério Público. Mas quando existe um paciente doente, temos que socorrê-lo para salvar a vida, a investigação sobre o que causou a doença, pode ficar para outro momento. Nossa prioridade agora é contribuir, juntamente com todos os gestores públicos envolvidos, a Prefeitura, o Consórcio, o MP, o Governo do Estado que também ajuda a Capital e tem cerca de 40% dos alunos que recebem a gratuidade, todos nós devemos contribuir para subsidiar essa crise. A Câmara vai votar o que for necessário para não penalizar o usuário. Podemos usar a Cosip, a Câmara economizar e aumentar a devolução que fazemos todos os anos do Duodécimo, temos que encontrar uma saída”, disse o presidente da Câmara.

Nesta sexta-feira (24) ocorrerá nova reunião com todos os representantes envolvidos para discutir o tema e encontrar soluções.

Fonte: Câmara Municipal de Campo Grande