Esfriou? É hora de queijos e vinhos!

A combinação de queijos e vinhos é uma das mais tradicionais harmonizações da enogastronomia Do que adianta ter a faca e o queijo nas mãos sem ter um bom vinho para acompanhar? Mil desculpas para quem acha que o tradicional “Romeu e Julieta” é o melhor casamento que existe na cozinha, mas combinar queijos e vinhos pode gerar infinitas experiências gastronômicas ainda mais saborosas. Para entender melhor o porquê de harmonizarem tão bem, temos que ter em mente que os queijos e os vinhos possuem alguns elementos em comum, inclusive o próprio processo de produção. Ambos são criados a partir da fermentação, que age na transformação dos aromas e sabores. No queijo, esse processo pode resultar em um produto salgado, picante, doce ou amargo e em vários atributos relacionados aos seus componentes, textura e sabor. Já no vinho, além de transformar o açúcar da uva em álcool, a fermentação pode gerar aromas amanteigados, notas de especiarias e trazer cremosidade. Outra semelhança diz respeito ao efeito do tempo sobre ambos. O amadurecimento ou a ausência dele, por exemplo, cria vinhos e queijos que variam de frescos, jovens e simples, a envelhecidos, maduros e complexos. Mas e aí, como harmonizar? Antes de tudo, temos que levar em conta que o objetivo da harmonização é criar um equilíbrio e harmonia entre o prato e o vinho. Não existem regras absolutas, então o melhor jeito para descobrir suas combinações preferidas é experimentando. Trouxemos algumas dicas gerais para facilitar nas harmonizações. Ah, não dá para esquecer que essas combinações ficam ainda melhores nos dias mais frios. Vamos para as dicas? Os vinhos brancos, em geral, vão melhor com queijos que os tintos por causa da relação entre gordura (do queijo) e acidez (do vinho). Simplificando explicações, a acidez do vinho limpa o palato da gordura do queijo e deixa a experiência ainda mais prazerosa. Brie ou camembert, por exemplo, vão bem com o português Marquês de Borba VInhas Velhas Branco, de destacada frescura e mineralidade, além de deliciosa untuosidade. Prefere espumante? Aposte no recém-lançado Beau Rocher Rosé espumante francês rosé seco, cremoso, macio e muito equilibrado. Os tintos também podem proporcionar uma experiência deliciosa. Para combinar com Gouda, Maasdam, Gruyére, Emmental e Édam sugerimos o tinto italiano Corbelli Chianti de deliciosas notas de cerejas e frutos vermelhos escuros. Ou ainda o espanhol Masterchef Tempranillo, deliciosamente frutado e com notas tostadas. Para acompanhar um parmesão, experimente tintos de médio corpo ou encorpados e surpreenda-se com o resultado. Aposte no Carolina Reserva Cabernet Sauvignon, chileno de aromas complexos e taninos macios. Se preferir uma harmonização étnica, sugerimos o italiano Grana Padano acompanhado do piemontês Truffle Hunter Leda Langhe DOC Rosso, suculento, de taninos macios e excelente equilíbrio. Queijos azuis combinam maravilhosamente bem com vinhos fortificados, como o Porto Messias 10 Anos. A combinação entre gordura e sal e a doçura do vinho é espetacular. "BEBA COM MODERAÇÃO"

Esfriou? É hora de queijos e vinhos!

A combinação de queijos e vinhos é uma das mais tradicionais harmonizações da enogastronomia Do que adianta ter a faca e o queijo nas mãos sem ter um bom vinho para acompanhar? Mil desculpas para quem acha que o tradicional “Romeu e Julieta” é o melhor casamento que existe na cozinha, mas combinar queijos e vinhos pode gerar infinitas experiências gastronômicas ainda mais saborosas. Para entender melhor o porquê de harmonizarem tão bem, temos que ter em mente que os queijos e os vinhos possuem alguns elementos em comum, inclusive o próprio processo de produção. Ambos são criados a partir da fermentação, que age na transformação dos aromas e sabores. No queijo, esse processo pode resultar em um produto salgado, picante, doce ou amargo e em vários atributos relacionados aos seus componentes, textura e sabor. Já no vinho, além de transformar o açúcar da uva em álcool, a fermentação pode gerar aromas amanteigados, notas de especiarias e trazer cremosidade. Outra semelhança diz respeito ao efeito do tempo sobre ambos. O amadurecimento ou a ausência dele, por exemplo, cria vinhos e queijos que variam de frescos, jovens e simples, a envelhecidos, maduros e complexos. Mas e aí, como harmonizar? Antes de tudo, temos que levar em conta que o objetivo da harmonização é criar um equilíbrio e harmonia entre o prato e o vinho. Não existem regras absolutas, então o melhor jeito para descobrir suas combinações preferidas é experimentando. Trouxemos algumas dicas gerais para facilitar nas harmonizações. Ah, não dá para esquecer que essas combinações ficam ainda melhores nos dias mais frios. Vamos para as dicas? Os vinhos brancos, em geral, vão melhor com queijos que os tintos por causa da relação entre gordura (do queijo) e acidez (do vinho). Simplificando explicações, a acidez do vinho limpa o palato da gordura do queijo e deixa a experiência ainda mais prazerosa. Brie ou camembert, por exemplo, vão bem com o português Marquês de Borba VInhas Velhas Branco, de destacada frescura e mineralidade, além de deliciosa untuosidade. Prefere espumante? Aposte no recém-lançado Beau Rocher Rosé espumante francês rosé seco, cremoso, macio e muito equilibrado. Os tintos também podem proporcionar uma experiência deliciosa. Para combinar com Gouda, Maasdam, Gruyére, Emmental e Édam sugerimos o tinto italiano Corbelli Chianti de deliciosas notas de cerejas e frutos vermelhos escuros. Ou ainda o espanhol Masterchef Tempranillo, deliciosamente frutado e com notas tostadas. Para acompanhar um parmesão, experimente tintos de médio corpo ou encorpados e surpreenda-se com o resultado. Aposte no Carolina Reserva Cabernet Sauvignon, chileno de aromas complexos e taninos macios. Se preferir uma harmonização étnica, sugerimos o italiano Grana Padano acompanhado do piemontês Truffle Hunter Leda Langhe DOC Rosso, suculento, de taninos macios e excelente equilíbrio. Queijos azuis combinam maravilhosamente bem com vinhos fortificados, como o Porto Messias 10 Anos. A combinação entre gordura e sal e a doçura do vinho é espetacular. "BEBA COM MODERAÇÃO"