Estudantes da UEL protestam pelo retorno total das aulas presenciais e pedem por exigência de passaporte da vacina

Segundo a UEL, instituição oferece segurança com outras medidas sanitárias, e retorno escalonado tem funcionado. Retomada total das aulas presenciais será discutida em 8 de fevereiro. Estudantes protestam na Universidade Estadual de Londrina Um grupo de estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL), no norte do Paraná, protestou, nesta sexta-feira (28), reivindicando a retomada total das aulas presenciais e pedindo a adoção do passaporte da vacina contra a Covid-19 para as atividades na instituição. Das 11 universidades estaduais do Paraná, a UEL é uma das quatro que não exigiram o documento. O retorno do ano letivo na UEL começou na segunda-feira (24) preferencialmente de forma remota, com algumas atividades presenciais. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas Ainda nesta sexta-feira, durante uma reunião, representantes dos estudantes apresentaram um ofício com uma lista de demandas para a reitoria. “A gente veio reivindicar o retorno seguro presencial, porque a gente entende que estamos sendo prejudicados, tanto economicamente, vários estudantes que vieram morar na cidade, mas também é um prejuízo emocional porque estamos há muito tempo no modelo remoto de ensino e isso prejudica o aprendizado”, disse o estudante Fernan Silva. Estudantes protestaram pelo retorno total das aulas presenciais na UEL Marcelino Barbosa/RPC Reunião Conforme a assessoria da UEL, a reitoria colheu as preocupações dos estudantes e apresentou as ações que a universidade está fazendo para ampliar a segurança sanitária. Além disso, conforme a UEL, o retorno presencial escalonado está funcionando. Por isso, essa medida será discutida novamente em uma reunião, na terça-feira (8). Dessa forma, a universidade destacou que neste momento deve manter as aulas preferencialmente remotas. Cobertura vacinal Apesar de não haver passaporte da vacina, a universidade solicitou um cadastro para que estudantes e funcionários indicassem se foram ou não vacinados. O levantamento sobre a vacinação da comunidade universitária da UEL indicou que, até 21 de janeiro, mais de 90% do total de estudantes, professores e agentes universitários estavam imunizados. Deste total, a grande maioria respondeu estar com o esquema vacinal completo, com a primeira e a segunda doses em dia. Entre os estudantes de graduação, 98, 87% confirmaram a vacina. Outros 98,3% dos Agentes Universitários, considerando o Campus e o Hospital Universitário (HU), responderam estar em dia com a vacina. Entre os professores, 99,14% afirmaram estar imunizados completamente. VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR Veja mais notícias da região no g1 Norte e Noroeste.

Estudantes da UEL protestam pelo retorno total das aulas presenciais e pedem por exigência de passaporte da vacina

Segundo a UEL, instituição oferece segurança com outras medidas sanitárias, e retorno escalonado tem funcionado. Retomada total das aulas presenciais será discutida em 8 de fevereiro. Estudantes protestam na Universidade Estadual de Londrina Um grupo de estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL), no norte do Paraná, protestou, nesta sexta-feira (28), reivindicando a retomada total das aulas presenciais e pedindo a adoção do passaporte da vacina contra a Covid-19 para as atividades na instituição. Das 11 universidades estaduais do Paraná, a UEL é uma das quatro que não exigiram o documento. O retorno do ano letivo na UEL começou na segunda-feira (24) preferencialmente de forma remota, com algumas atividades presenciais. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas Ainda nesta sexta-feira, durante uma reunião, representantes dos estudantes apresentaram um ofício com uma lista de demandas para a reitoria. “A gente veio reivindicar o retorno seguro presencial, porque a gente entende que estamos sendo prejudicados, tanto economicamente, vários estudantes que vieram morar na cidade, mas também é um prejuízo emocional porque estamos há muito tempo no modelo remoto de ensino e isso prejudica o aprendizado”, disse o estudante Fernan Silva. Estudantes protestaram pelo retorno total das aulas presenciais na UEL Marcelino Barbosa/RPC Reunião Conforme a assessoria da UEL, a reitoria colheu as preocupações dos estudantes e apresentou as ações que a universidade está fazendo para ampliar a segurança sanitária. Além disso, conforme a UEL, o retorno presencial escalonado está funcionando. Por isso, essa medida será discutida novamente em uma reunião, na terça-feira (8). Dessa forma, a universidade destacou que neste momento deve manter as aulas preferencialmente remotas. Cobertura vacinal Apesar de não haver passaporte da vacina, a universidade solicitou um cadastro para que estudantes e funcionários indicassem se foram ou não vacinados. O levantamento sobre a vacinação da comunidade universitária da UEL indicou que, até 21 de janeiro, mais de 90% do total de estudantes, professores e agentes universitários estavam imunizados. Deste total, a grande maioria respondeu estar com o esquema vacinal completo, com a primeira e a segunda doses em dia. Entre os estudantes de graduação, 98, 87% confirmaram a vacina. Outros 98,3% dos Agentes Universitários, considerando o Campus e o Hospital Universitário (HU), responderam estar em dia com a vacina. Entre os professores, 99,14% afirmaram estar imunizados completamente. VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR Veja mais notícias da região no g1 Norte e Noroeste.