Jornalista ucraniana morre em bombardeio contra prédio residencial em Kiev

Jornalista ucraniana morava em prédio atacado pelo exército russo Reprodução/Facebook - Vira Hyrych O corpo encontrado nos escombros de um prédio residencial bombardeio na quinta-feira (28) por mísseis do exército da Rússia em Kiev é de uma jornalista ucraniana que trabalhava para a emissora americana Radio Free Europe/Radio Liberty, segundo informou nesta sexta-feira  (29) o Instituto de Informação de Meios (IMI). A vítima foi identificada como Vira Hyrych, segundo afirmou a editora-chefe do serviço ucraniano da Radio Liberty, Inna Kuznetsova, ao IMI. "Ela estava indo para a cama quando um míssil balístico russo atingiu seu apartamento no centro de Kiev. A barbárie da Rússia é incompreensível", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, Oleg Nikolenko. "Pedimos às organizações de mídia que condenem o assassinato de Vira e de todos os outros ucranianos inocentes." Veja também Internacional Putin e Zelenski podem se encontrar em cúpula do G20 Internacional Rússia bombardeou Kiev para 'humilhar a ONU', diz Zelenski Internacional Rússia acelera avanço ao Donbass e consolida controle no sul da Ucrânia O prédio de 25 andares foi parcialmente destruído, como resultado do ataque das forças russas, segundo indicaram os Serviços de Emergência da Ucrânia. O bombardeio deixou dez feridos e aconteceu simultaneamente à visita do secretário-geral da ONU, António Guterres, à Kiev. "Os socorristas, que continuam inspecionando e limpando os escombros do prédio residencial no distrito de Shevchenkivskyi, atingido ontem, acabam de encontrar um corpo", anunciou mais cedo o prefeito da capital ucraniana, Vitali Klitschko. Leia também Ucrânia identificou 'mais de 8.000' supostos crimes de guerra russos Ucrânia planeja operação de retirada de civis de siderúrgica em Mariupol  Chefe da ONU, António Guterres, pede rota de fuga em Mariupol As autoridades russas garantiram nesta sexta-feira que, no ataque à Kiev, foram destruídas instalações da empresa da indústria espacial e de foguetes Artem, sem detalhar quantos projéteis foram lançados e o número total de alvos na cidade. Após o ataque de ontem, o prefeito de Kiev afirmou que diversos bombardeios russos já deixaram mais de 100 mortos na cidade desde 24 de fevereiro, quando foi iniciada à invasão ao território ucraniano.

Jornalista ucraniana morre em bombardeio contra prédio residencial em Kiev
Jornalista ucraniana morava em prédio atacado pelo exército russo
Jornalista ucraniana morava em prédio atacado pelo exército russo Reprodução/Facebook - Vira Hyrych

O corpo encontrado nos escombros de um prédio residencial bombardeio na quinta-feira (28) por mísseis do exército da Rússia em Kiev é de uma jornalista ucraniana que trabalhava para a emissora americana Radio Free Europe/Radio Liberty, segundo informou nesta sexta-feira  (29) o Instituto de Informação de Meios (IMI).

A vítima foi identificada como Vira Hyrych, segundo afirmou a editora-chefe do serviço ucraniano da Radio Liberty, Inna Kuznetsova, ao IMI.

"Ela estava indo para a cama quando um míssil balístico russo atingiu seu apartamento no centro de Kiev. A barbárie da Rússia é incompreensível", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, Oleg Nikolenko. "Pedimos às organizações de mídia que condenem o assassinato de Vira e de todos os outros ucranianos inocentes."

O prédio de 25 andares foi parcialmente destruído, como resultado do ataque das forças russas, segundo indicaram os Serviços de Emergência da Ucrânia.

O bombardeio deixou dez feridos e aconteceu simultaneamente à visita do secretário-geral da ONU, António Guterres, à Kiev.

"Os socorristas, que continuam inspecionando e limpando os escombros do prédio residencial no distrito de Shevchenkivskyi, atingido ontem, acabam de encontrar um corpo", anunciou mais cedo o prefeito da capital ucraniana, Vitali Klitschko.

As autoridades russas garantiram nesta sexta-feira que, no ataque à Kiev, foram destruídas instalações da empresa da indústria espacial e de foguetes Artem, sem detalhar quantos projéteis foram lançados e o número total de alvos na cidade.

Após o ataque de ontem, o prefeito de Kiev afirmou que diversos bombardeios russos já deixaram mais de 100 mortos na cidade desde 24 de fevereiro, quando foi iniciada à invasão ao território ucraniano.