Não queremos punir ninguém, diz Queiroga sobre erro em vacinação de crianças na PB

Grupo recebeu dose de imunizante contra Covid-19 da Pfizer feito para adultos e com data de validade vencida; MPF investiga o caso paraibano Este conteúdo foi originalmente publicado em Não queremos punir ninguém, diz Queiroga sobre erro em vacinação de crianças na PB no site CNN Brasil.

Não queremos punir ninguém, diz Queiroga sobre erro em vacinação de crianças na PB

Um grupo de quase 50 crianças foi vacinado na Paraíba com doses do imunizante da Pfizer contra a Covid-19 feito para adultos, que estava fora do prazo de validade.

O episódio aconteceu entre dezembro e janeiro no município de Lucena, na Região Metropolitana de João Pessoa, e está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF).

Em entrevista à CNN nesta segunda (17), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que “temos que cuidar para que não haja esse tipo de erro novamente”.

“Já foi instaurado um processo administrativo para apurar as responsabilidades. O MPF acompanha o caso. Nós não queremos buscar punição de ninguém, mas precisa ser averiguado para que fatos como esse não voltem a acontecer”, declarou o ministro.

À analista da CNN, Basília Rodrigues, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiro, informou, neste sábado (15), que crianças entre 4 e 9 anos receberam a vacina para adultos. Elas apresentaram eventos adversos leves como febre e dor no local da aplicação. Mas passam bem, de acordo com o secretário.

O ministro Queiroga afirmou que foi até a cidade de Lucena para conversar com o prefeito, as autoridades sanitárias e os familiares das crianças vacinadas.

De acordo com Queiroga, 48 crianças foram vacinadas neste “erro vacinal”. “Essas doses foram aplicadas antes da distribuição das vacinas específicas”, explicou o ministro.

Queiroga destacou que a vacinação infantil aprovada recentemente pelo Ministério da Saúde deve ocorrer com uma série de protocolos de segurança para evitar erros.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista à CNN / Reprodução/CNN Brasil (17.jan.2022)

Ele pontua que a imunização das crianças deve acontecer com vacinadores e salas exclusivos para essa faixa etária, e que a tampa da ampola com a vacina tem cor diferente da usada em adultos.

“As crianças devem ser acompanhadas de perto para detectar possíveis efeitos adversos da vacina”, disse.

“É necessário que os municípios e as salas de vacinação recebam todas as orientações, e isso incumbe à Secretaria Estadual de Saúde junto aos municípios”, completou Queiroga.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Não queremos punir ninguém, diz Queiroga sobre erro em vacinação de crianças na PB no site CNN Brasil.