Polícia instaura inquérito para apurar morte de enfermeira que caiu de tirolesa

A trágica morte da enfermeira Yasmili Araújo, de 23 anos, está sendo investigada pela 1ª Regional da Polícia Civil. A jovem morreu na tarde de sábado, 2, após cair de uma tirolesa no parque aquático Piracema Park Club, na Rodovia Transacreana, zona rural de Rio Branco. A queda foi de uma altura de 15 a […]

Polícia instaura inquérito para apurar morte de enfermeira que caiu de tirolesa

A trágica morte da enfermeira Yasmili Araújo, de 23 anos, está sendo investigada pela 1ª Regional da Polícia Civil. A jovem morreu na tarde de sábado, 2, após cair de uma tirolesa no parque aquático Piracema Park Club, na Rodovia Transacreana, zona rural de Rio Branco. A queda foi de uma altura de 15 a 20 metros, segundo os bombeiros.

“Instauramos procedimento para saber o que aconteceu de fato. Não sabemos se o local foi preservado, como deveria ter sido, a perícia não foi acionada, a equipe de pronto emprego também não foi acionada.

Porém as perícias que deviam ser solicitadas já foram feitas e vamos ouvir testemunhas. O que vai ajudar, são as pessoas e os registros da situação. A partir de agora, vamos ter oitiva de testemunhas, aguardar o resultado da perícia, juntada de elementos de informações e testemunhal e imagens do local”, disse.

O parque fez uma cavalgada no sábado. Os parentes confirmaram que Yasmili, o namorado e alguns amigos estavam no estabelecimento desde o início do sábado para curtir o dia juntos.

Ainda conforme a família, Yasmili teria subido na estrutura sem proteção, pisou em um buraco que havia no topo da tirolesa e caiu. Ela sofreu diversas fraturas pelo corpo e recebeu atendimento de uma equipe do Corpo de Bombeiros que estava no local.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também prestou assistência para a jovem. Christian Araújo, tia do namorado de Yasmili, confirmou que a vítima morreu dentro da ambulância do Samu quando teve uma parada cardiorrespiratória.

“Não amarraram nenhuma corda nela e lá em cima tinha um buraco. Ela tropeçou e caiu nesse buraco. Foi uma fatalidade, uma tragédia”, lamentou Christian.

Parque lamentou

Em sua página oficial, o parque aquático lamentou o acidente e disse que suspendeu as atividades da tirolesa até que tudo seja devidamente apurado. Uma equipe da Rede Amazônica esteve no local, que funcionou normalmente no domingo, 3, apenas com a tirolesa interditada.

“Piracema Park Club franqueou todo apoio, suporte e atenção à família da jovem e, após o acidente, encerrou as atividades da atração, que somente voltará a operar após apuração pelas autoridades competentes quanto às causas do acidente”, diz a nota.

Local não tinha autorização para tirolesa

O diretor de atividades técnicas do Corpo de Bombeiros, tenente Eurico Fernando, contou ao g1 que o parque não tinha autorização para tirolesa. Segundo ele, a administração do espaço estava com certificado válido para a Cavalgada e show. Sobre a não autorização, o parque não posicionou.
Inclusive, ele conta que uma equipe dos bombeiros esteve no local fazendo uma inspeção ainda na manhã de sexta-feira, 1º, e não tinha qualquer indício de uma estrutura de tirolesa.

“O local tinha certificado de aprovação válido, no entanto, a montagem da tirolesa foi de última hora. Tínhamos uma guarnição específica que estava trabalhando na guarnição do evento, estavam trabalhando com atendimento pré-hospitalar, eles que fizeram os primeiros atendimentos. O local é certificado, mas no projeto aprovado pela gente no setor técnico, não existe qualquer previsão de uma estrutura pré-montada como a tirolesa, estrutura de esportes precisam ter um documento assinado por um engenheiro, o que o local não possui”, diz.

Os funcionários alegaram ainda que a tirolesa foi finalizada ainda na manhã de sábado sem conhecimento dos bombeiros. “Foi montada de última hora, ficou pronta na manhã do dia 2. Eles fizeram muito rápido, possivelmente essa pressa na montagem dessa estrutura é fator preponderante para tentar explicar o que aconteceu”, destaca.

Um boletim de ocorrência foi feito e, segundo o tenente, a perícia é que vai atestar o que aconteceu. Se a enfermeira caiu da escada ou da estrutura já acima, onde é possível ver um buraco.

A direção do Piracema Park Club informou que tem nada a declarar no momento porque aguarda a apuração do caso. Sobre o fato de local não ter autorização para a tirolesa, o escritório jurídico informou que está aguardando as investigações e que qualquer posicionamento agora é prematuro.

Yasmili tinha formado recentemente em enfermagem e agora estudava para passar em um concurso na área. Christian falou que ela foi a primeira do grupo a subir no brinquedo. A família falou que vai decidir que medidas serão tomadas após o acidente.

O corpo da enfermeira foi velado em Senador Guiomard e o enterro aconteceu no Cemitério Morada da Paz, em Rio Branco. (Por Tácita Muniz, g1)