Quinta, 26 Novembro 2020 19:25

Disputa entre China e Índia atrasa a entrada de eletrônicos no país


As novas diretrizes impostas pelas autoridades indianas de controle de qualidade estão fazendo com que a entrada de produtos feitos na China, como os novos iPhones e smartphones da Xiaomi, demorem meses
para chegar aos consumidores. De acordo com a Reuters, os pedidos para o Bureau of Indian Standards (BIS), que costumavam ser processados ​​em 15 dias, agora estão levando até dois meses ou mais.A desaceleração começou em agosto, como parte da deterioração dos laços comerciais com a China após um confronto fronteiriço em junho que deixou 20 soldados indianos mortos. Desde então, a Índia endureceu as regras para investimentos chineses e baniu centenas de aplicativos móveis.A Apple possui operações de montagem na Índia, mas os primeiros modelos do iPhone 12 são importados. No lançamento, executivos da Apple pediram ao BIS para acelerar a aprovação do aparelho, dando garantias de que a empresa continuaria a expandir suas atividades na Índia. Segundo a Reuters, não ficou claro por quanto tempo o pedido do iPhone 12 ficou pendente, e a Apple não respondeu a um pedido de comentário.shiv.mer/ShutterstockO TikTok estava entre os primeiros aplicativos banidos na Índia. Imagem: shiv.mer/ShutterstockNa última quarta-feira (25), 1.080 pedidos encaminhados ao BIS para laptops, tablets e outros dispositivos estavam pendentes, com 669 deles esperando há mais de 20 dias - enquanto alguns estão pendentes desde setembro. "Enquanto o BIS está atrasando as aprovações de produtos, o Ministério de Eletrônica e Tecnologia da Informação está pressionando as empresas a fabricar esses dispositivos na Índia", disse uma das fontes da agência de notícias.Com mais de um bilhão de habitantes, a perda do mercado indiano é um grande baque para as empresas chinesas. China e Índia estão há décadas em uma disputa territorial sobre a soberania territórios na fronteira em comum. As medidas do governo indiano em relação aos dispositivos eletrônicos e aplicativos parecem demonstrar que o país está disposto a levar questão também para o campo da tecnologia.Via: Reuters
Ler 33 vezes Última modificação em Quinta, 26 Novembro 2020 21:17

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.