×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 311

Imprimir esta página
Terça, 20 Setembro 2016 00:13

Ousada, Supermax estreia com bons ganchos e atuações destoantes

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Nesta terça-feira (20) estreia “Supermax”, nova série da Globo que promete chacoalhar os padrões não apenas da emissoras, mas também de toda a TV aberta. Fugindo dos padrões de sitcom normalmente

vistos em séries brasileiras – como no caso de “A Grande Família”- “Supermax” mistura elementos de terror e mistério para contar sua narrativa sombria sobre 12 pessoas que participam de um reality show em um presídio de segurança máxima no meio da Floresta Amazônica.

Globo/Estevam Avellar
Os protagonistas de "Supermax", que estreia nesta terça-feira (20)

Em uma nova estratégia a Globo liberou os de na íntegra da série por meio do aplicativo “Globoplay” – somente para assinantes - e o assistiu aos dois primeiros capítulos para contar ao público um pouco sobre o que eles podem esperar da nova série da Globo.

Em termos de roteiro, “Supermax” convence mais do que inicialmente pode parecer. A trama da série de Marçal Aquino, Fernando Bonassi e José Alvarenga Jr. parte de uma premissa simples que é permeada de elementos de suspense, terror e sobrenatural. No entanto, esses elementos não são jogados na cara do telespectador de repente, mas vão sendo lentamente construídos, o que aumenta a ideia de tensão que a série busca passar. Da forma que é construída, a história realmente produz uma sensação de claustrofobia, de pessoas que à primeira vista estão em um reality duro, mas inofensivo, e logo se veem em um jogo pela própria vida. Nos dois primeiros episódios, por exemplo, nenhum elemento sobrenatural é explicitamente esclarecido, mas pequenos acontecimentos estranhos podem ser observados.

 

O grande mérito de “Supermax”, pelo menos em seu início, é a forma como vai costurando os dramas dos diferentes personagens. Logo no começo, a série mostra que as tensões e os conflitos entre esses participantes podem ser tão perigosos quanto qualquer ocorrência sobrenatural que possa vir a se impor no futuro, e essa viagem no psicológico de cada indivíduo permite que a série crie discussões mais profundas, que podem ser mais fortes no decorrer da trama. A história também não tem medo de usar cenas mais impactantes, que podem chocar parte do público, mas que ajudam a diferenciar o produto das demais obras presentes na TV aberta.

A direção da série também tem muitos méritos, com muitos closes nos personagens para aproximar o público dos sentimentos de cada um. A forma como a câmera se movimenta pela ação e a alternância entre imagens de câmaras tradicionais e câmeras de “seguranças” também ajudam a reforçar a ilusão de um reality show confinador. Os episódios também conseguem construir ótimos ganchos – forma de encerramento de um capítulo que aguça o interesse do público para a continuação – o que é imprescindível para uma série como esta, que só é exibida uma vez por semana.

 

Atuações destoantes

Se “Supermax” possui um problema que é imediatamente aparente, é o desempenho de alguns atores. Enquanto alguns demonstram completa segurança e fazem performances seguras - , , , por exemplo– outros acabam perdendo a mão de seus personagens e ficando um tom acima ou abaixo do que o momento exige – , , por exemplo.

Elenco de
Reprodução/Globo
Elenco de "Supermax" apresenta atuações destoantes

Até mesmo a mais conhecida descamba para um tom farsesco em alguns momentos – a cena em que a personagem dá um depoimento sobre a morte em um cemitério é difícil de engolir. Em alguns momentos, , em participação especial como ele mesmo, parece estar mais confiante de sua performance do que alguns atores.

Pode-se dizer que em alguns momentos, por se tratar de uma simulação de um reality, este tom mais teatral é exatamente o que os diretores procuram, como forma de espelhar a realidade, mas ainda causa estranhamento. No entanto, esses pequenos momentos não impactam de maneira muito extrema o todo e não abalam o bom desempenho do elenco em geral, mesmo que chamem a atenção.

“Supermax” começa seguro e é muito válida como nova experiência na televisão brasileira. Resta ver se se mantém ao longo da temporada ou se cairá em um mar de séries sobrenaturais canastronas.

Ler 32 vezes