Big Banner Hospedagem de Site 1360x150
Domingo, 13 Setembro 2020 08:30

Eleições: cariaciquenses cobram limpeza de ruas, rio e córregos

Quarto município da Grande Vitória ouvido por , Cariacicatem, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES),262.414 eleitores, que devem ir daqui a cerca de dois meses às

urnas eleger onovo prefeito que irá suceder o atual, Juninho (Cidadania), e os próximosparlamentares municipais.

Nos bairros mais populosos, considerados zonas de influência política, e em todo o município, as demandas são inúmeras. Em pleno ano eleitoral, onde a eleição foi adiada em um mês (15 de novembro), por conta da pandemia do , o alto índice de mosquitos, a falta de limpeza urbana, a postergação da limpeza do rio Itanguá, obras inacabadas e saneamento básico incompleto ainda são problemas para os cariaciquenses.

Para o presidente da associação de moradores do bairro Nova Rosa Penha, Ezio Luiz da Costa, 52, a principal demanda do bairro é em relação ao esgoto. De acordo com o líder comunitário, “parte do bairro tem sistema de esgoto, mas outra não”.

Com isso, o saneamento básico, que é um direito assegurado pela Constituição Federal de 1988 e pela Lei nº. 11.445/2007, não é contemplado em todo o bairro, o que provoca o escoamento de esgoto para os córregos.

A demanda segue sendo a mesma no bairro Itacibá, que segundo o presidente da Associação de Moradores, Renilson dos Santos, 54, “é uma rede feita há muitos anos atrás, e que atualmente a prefeitura só tem feito manutenção”. Mesmo sendo feita, a manutenção, para o líder comunitário, ainda é um problema.

  • Rio Itanguá, em Cariacica — (Foto: Internauta/ESHOJE)

As semelhanças entre os problemas dos bairrosnão param por aí. Por Itacibá e Nova Brasília passa o rio Itanguá, que deacordo com dos Santos é onde precisa ser realizada uma limpeza curso de água.Junto do líder comunitário, o presidente da Associação de Moradores de NovaBrasília, Eder Etavelli, 55 anos,conta que apromessa de limpezafoi feita, no entanto, não vem sendo cumprida.

“Por conta da falta de limpeza desse rio temmais mosquitos, e a gente espera que a próxima gestão resolva esseproblema definitivamente e não paulatinamente, como tem sido feito”, disse opresidente da Associação de Moradores de Itacibá, ressaltando que o bairro é umdos mais afetados pela proliferação de mosquitos.

Além disso, o problema do rio é ainda maior e atinge, de acordo com o líder comunitário, 600 famílias de Itacibá, que durante o período de chuvas, entre outubro e março, são atingidas em decorrência da falta de dragagem. “Ele (rio Itanguá) nasce no bairro Nova Brasília e deságua na baía de Vitória. Por conta da falta de dragagem, várias famílias (uma média de 600) são atingidas pelas enchentes do fim do ano até março. É urgente”, afirmou dos Santos.

  • Lixo acumulado, em Cariacica — (Foto: Internauta/ESHOJE)

Além das demandas mais específicas, osmoradores ao andar por toda Cariacica enxergam e apontam uma demanda em comum:falta de limpeza nas ruas. De acordo com o líder comunitário de Nova Brasília,“limpeza das ruas não são feitas”, e um exemplo é o próprio bairro, ondecapinagem e varrição não são feitas há praticamente um ano.

A explicação, segundo o presidente daAssociação de Moradores de Itacibá, é a terceirização dos funcionários ligados àlimpeza pública. “Antigamente a prefeitura tinha funcionários da limpezacontratados dela mesmo, mas em 2016, se eu não me engano, ela terceirizou esseserviço. Com isso, a quantidade de funcionários foi reduzida”.

  • Antigo prédio do Pronto Socorro de Itacibá — (Foto: Internauta/ESHOJE)

Ainda em Itacibá, o líder comunitário destacaa perda de um Pronto Atendimento (PA) 24 horas, que foi desativado com achegada do PA do Trevo de Alto Lage. A promessa com a desativação foi à criaçãode Centro Médico Especializado, que permeia desde 2013. “Atualmente aprefeitura está trabalhando no espaço onde vai ser o Centro Odontológico — aobra estrutural está praticamente pronta, mas esta esperando a pandemia acabarpra funcionar. Nesse mesmo prédio, em outra área, será o Centro Especializadoque vai atender várias demandas do bairro. No entanto, nem começaram a mexerainda”.

Na região de Nova Brasília, por sua vez, as duas Unidade Básicas de Saúde (UBS), que são próximas, “só estão atendendo casos referentes à Covid-19”, segundo o líder comunitário do bairro. “Se tiver alguém passando mal tem que ir ao PA e lá só Jesus também. Eu gostaria que o próximo prefeito tivesse fosse mais empenhado em atender a comunidade, porque, infelizmente, o atual deixou a desejar”.

Em Nova Rosa da Penha, o PA está passando por reformas há pelo menos umano, onde uma parte do prédio não está funcionando. Mesmo com isso, o lídercomunitário conta que “o PA funciona bem”.

Em relação à educação, os líderes comunitários dizem não ter o que falar.Por outro lado, em Nova Rosa da Penha, de acordo com o presidente da Associaçãode Moradores, existe déficit nas escolas e creches da região. “Nesse ano aprefeitura pegou duas escolas do estado. Assim, ficamos com duas estaduais eduas municipais. Não aumentou o número de escolas e ainda temos déficit devagas nas escolas, principalmente do nível primário”.

No mesmo bairro, outro problema está relacionado ao Centro Municipal deEducação Infantil Dom João Batista da Motta e Albuquerque, que por conta de umareforma há sete anos foi transferida para um prédio mais distante e maisrecentemente retornou ao bairro, no entanto, sem ser para o prédio original. “Acreche continua parada, mas já tem um projeto”, afirmou da Costa.

No mesmo bairro, outra obra segue parada:pavimentação entre as ruas 90 e 97. De acordo com o presidente da Associação deMoradores, existem em Nova Rosa da Penha muitas demandas relacionadas a ruas ecalçamento. Por outro lado, quando as obras começam, existem interrupções semmotivos ou com alegações de falta de materiais.

“A rua que tão fazendo no momento eles começaram e falaram que parou porque faltou material. Mas quem começa uma e não tem programação de material? Começou a fazer, porém eles foram pra outro bairro. Se tinha uma programação, não aconteceu dentro do previsto, e os moradores estão bem chateados, não com a obra, mas, sim, com a demora”, contou, destacando ruas que estão quebradas em razão das obras.

Além de tudo isso, tem a insegurança e o tráfico de drogas. Porém, de acordo com o líder comunitário de Nova Rosa da Penha, com o básico sendo feito, entre eles investimentos em educação e saúde, a criminalidade perde força e espaço nas regiões.

Por nota, a Prefeitura de Cariacica respondeu da seguinte forma:

RESPOSTA: “limpeza de rios e mananciais é de responsabilidade do Governo do Estado. Por favor, ver com a assessoria do DER que iniciou processo de limpeza no rio em agosto, na região de Itanguá”.

RESPOSTA: “A Secretaria Municipal de Saúde (Semus), por meio da Vigilância de Zoonoses da Coordenação de Vigilância Ambiental (UVZ/CVA), informa que o trabalho de combate às endemias não parou em momento algum, mesmo com a pandemia. As equipes precisaram fazer diversas adaptações às visitas feitas às residências, para evitar a contaminação pela Covid-19 dos agentes e também, dos moradores.

A ação tem se concentrado emáreas identificadas como de alto risco, baseadas no boletim da VigilânciaEpidemiológica, enviado semanalmente, assim como as notificações registradasnas unidades de saúde. Com base nessas informações, são traçadas as rotas e osbairros que irão receber as visitas dos agentes.

Além do trabalho dos agentes, ocombate aos mosquitos recebe o reforço do carro fumacê, que também segueum cronograma de visita aos bairros. O fumacê elimina o mosquito adulto,enquanto a limpeza adequada nos quintais e terrenos, elimina os focos.O serviço conta com dois carros fumacê de segunda a sexta-feira (durante oentardecer e ao anoitecer) e um carro extra nas terças e quintas-feiras(durante a madrugada e ao amanhecer).

É importante relatar que 80% detodos os focos do mosquito Aedes aegypti estão dentro dos domicílios,conforme identificado pelos monitoramentos permanentes realizados conformepreconizado pelo Ministério da Saúde. O carro fumacê não tem como entrar nodomicílio, e portanto, trata-se de um paliativo, pois mata apenas osmosquitos alados (os adultos) e não as larvas que estão sendo criadas dentrodos domicílios.

O mosquito transmissor da dengue,zika e chikungunya se prolifera em água parada, o que faz do cidadão, oprincipal agente na eliminação de focos. O morador tem um papelfundamental no combate ao mosquito.

As fiscalizações com base emdenúncias de terrenos particulares em mau uso que possam promover odesenvolvimento de focos de mosquitos e pragas urbanas, também estão mantidas.Se há denúncia específica de alguma residência, empresa, terreno ou outro localcom risco ao controle do Aedes aegypti, é realizada visita técnicapara averiguação e notificação do proprietário para tomada de providências,gerando multa para os casos omissos.

Os moradores podem contarcom canais de denúncias. O Disque-dengue funciona no telefone 3343-6633.Ligações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Valedenunciar casos que envolvem terrenos baldios, residências que estão com caixad’água sem tampa, entre outros. Não é preciso se identificar.

Uma outra alternativa é a Ouvidoria 162. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e pelo 0800 283 9255, de segunda a sexta-feira, de meio-dia às 6h e aos finais de semana, 24 horas. O pedido pode ser registrado também pela e-Ouvidoria no portal da Transparência (transparência.cariacica.es.gov.br). No ato do atendimento, o cidadão recebe um número de protocolo pelo qual poderá acompanhar o andamento do pedido por meio do site da Prefeitura Municipal de Cariacica”.

RESPOSTA: “As obras estão ocorrendo normalmente nas ruas 90, 91, 93, 95, 96 e 97. Segundo a Secretaria Municipal de Obras (Semob), o contrato, que inclui drenagem, pavimentação e sinalização viária, e que também contempla as ruas 10, 11, 12, 13, 14, da Assembleia e Beco do Zeferino, no bairro Antônio Borges, está orçado em R$ 2.854.259,95. A previsão é que as obras sejam finalizadas em novembro desde ano, conforme cronograma do contrato, disponível no Portal da Transparência do site da Prefeitura Municipal de Cariacica”.

RESPOSTA: “A Secretaria Municipal de Educação (Seme) informa que, atualmente, não há déficit de vagas em Nova Rosa da Penha. O déficit de vagas no Ensino Fundamental que havia havia em 2019 foi sanado em 2020 com a municipalização da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Zaíra Manhães de Andrade, que era da rede estadual até o ano passado. Isso gerou uma oferta de 400 novas vagas naquela região. Assim, o problema de faltas de vagas no Ensino Fundamental foi resolvido.

A Seme acrescenta, também, que foi realizada a municipalização da Emef Mariuza Secchin, em Nova Rosa da Penha II, que também contribuiu positivamente na reorganização da rede de ensino de Cariacica”.

RESPOSTA: “Após o Pronto Socorro de Itacibá ser inaugurado no PA do Trevo de Alto Lage, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) começou a promover as transformações do antigo prédio. O local será dividido em duas partes: o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) (fotos em anexo) e o Centro Municipal de Especialidades. O CEO oferece as seguintes especialidades: Endodontia (03 endodontistas); Periodontia (01 periodontista); Cirurgia buco maxilo facial (02 cirurgiões); atendimento para pacientes com necessidades especiais (01 dentista); Odontopediatria (01 odontopediatra); Prótese (01 protesista). O atendimento irá funcionar por agendamento regulado pela coordenação, isto é, o paciente deve passar primeiro por consulta em uma unidade básica de saúde. Havendo a necessidade de atendimento com um especialista, é feito o pedido com encaminhamento para o CEO. O Centro de Especialidades Odontológicas será inaugurado ainda neste semestre.

Já o Centro Municipal de Especialidades, segundo a Secretaria Municipal de Obras (Semob), em 14 de agosto, foi definida a empresa responsável pela confecção de projeto após processo de licitação. Já foi feita uma reunião com a empresa e esta terá 60 dias para apresentar o projeto do equipamento de saúde”.

RESPOSTA: “O recolhimento de lixo domiciliar está ocorrendo normalmente em todos os bairros da cidade. Em relação à limpeza de bairros, o cronograma da Secretaria Municipal de Serviços (Semserv) foi mantido mas houve adequações devido à pandemia de coronavírus e a necessidade de redistribuir a mão-de-obra pois alguns servidores estão em grupo de risco. Além disso, desde março, com o início de registros de casos de covid-19 em Cariacica, a prioridade da Semserv é a higienização de pontos de grande fluxo populacional com cloro desinfetante. O cidadão pode solicitar a limpeza ligando para a Ouvidoria Municipal no telefone 162 (segunda a sexta, das 8h às 17h), lembrando que a secretaria só atua em áreas públicas. Não há ação em terrenos particulares. A limpeza dessas áreas privadas é de responsabilidade dos proprietários. Em caso de terreno particular, a Coordenação de Posturas, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Cidade e Meio Ambiente (Semdec), pede que os moradores formalizem denúncia por meio do telefone da Ouvidoria”.

RESPOSTA: A Semusbaixou a Portaria Nº 019, de 20 de março de 2020, que adotou medidastemporárias para os atendimentos nas unidades básicas de saúde domunicípio. Esta decisão não afetou atendimentos comotuberculose; hanseníase; criança com quadro infeccioso ou situação derisco; consulta de exame Pré Natal; Teste do Pezinho); testagem de IST emgestante; curativos de acordo com a avaliação da equipe técnica local;preventivo com queixas ginecológicas; vacinação; laboratórios de análisesclinicas; atendimento domiciliar para emissão de laudo para fórmula (dieta).

As consultas de urgências paraclínico, ginecologista e pediatria estão acontecendo por demanda espontânea. Osatendimentos como pré-natal de baixo e alto risco, consulta para troca dereceita, puericultura, programas voltados para diabéticos e hipertensos sãofeitos por meio de agendamento. O agendamento é feito por telefoneou presencial, nas unidades de saúde. É preciso apresentar cartão do SUS eidentidade.

Vale lembrar que as consultaseletivas de especialidades foram canceladas pelo Estado, mediante decreto. Oretorno se dará mediante a normalidade do funcionamento do Centro Regional deEspecialidades Juliano Almeida do Vale (CRE Metropolitano). Caso o médicoverificar a necessidade de especialista eletivo, o paciente receberá oencaminhamento e a orientação quanto ao retorno do CRE.

RESPOSTA: A SecretariaMunicipal de Educação (Seme) informa que já foi realizado o projetoarquitetônico e de engenharia, que está em fase de licitação para a obra. Aescola será transformada em um Centro Municipal de Educação Infantil(Cmei) para atender a demanda região, mas, hoje, não há déficit e a demandaobrigatória para a Educação Infantil já é atendida.

Curtir isso:

Ler 72 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.