Imprimir esta página
Sexta, 06 Dezembro 2019 15:59

Agente é preso suspeito de traficar drogas dentro de penitenciária em Unaí


'Substâncias eram entregues nas celas para os presos e o pagamento era feito fora da unidade', aponta delegado. Investigações começaram após Polícia Civil ser acionada por Departamento Penitenciário.
Material apreendido com o agentePolícia Civil / Divulgação Um agente penitenciário foi preso em uma operação de combate ao tráfico de drogas realizada pela Polícia Civil em Unaí (MG) nesta sexta-feira (6). Segundo as investigações, ele vendia os entorpecentes dentro da Penitenciária Agostinho de Oliveira e recebia o pagamento de familiares dos detentos. O servidor trabalhava na unidade há 20 anos. “Há cerca de quatro meses recebemos informações via Diretoria da Penitenciária de que poderia haver tráfico de drogas no local e o suspeito era um agente. Foram feitas diligências e levantamentos até chegar a operação realizada hoje. As substâncias eram entregues nas celas para os presos e o pagamento era feito fora da unidade”, explica o delegado Douglas Magela. Durante a operação foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão e um de prisão, que tinha o agente como alvo. Os policiais encontraram porções de maconha e anabolizantes na casa dele. A arma dele, que estava com registro vencido, também foi recolhida. “Agora vamos averiguar qual a relação dele com os anabolizantes e se outras pessoas podem estar envolvidas no esquema criminoso”, fala Douglas Magela. Doze policiais civis participaram da ação, que ainda contou com atuação de militares e agentes do sistema prisional. Cães farejadores foram usados durante as buscas na casa do agente e também no Penitenciária, que passou por uma revista após a operação. Segundo o delegado, o agente permaneceu em silêncio e deve ser encaminhado para Belo Horizonte. O diretor da Penitenciária, Paulo Henrique Pereira, destacou que o Departamento Penitenciário não tolera condutas ilícitas e informou que um procedimento administrativo foi instaurado. Dependendo da análise, o agente pode até perder o cargo. A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública informou que não há previsão da entrada do agente no Sistema Prisional. Veja mais notícias da região em G1 Grande Minas.
Ler 14 vezes