Imprimir esta página
Segunda, 21 Setembro 2020 17:32

Dados de exportações reforçam papel do comércio exterior na indústria


De janeiro a agosto de 2020, exportações ficaram estáveis no PR. Sistema Fiep oferta capacitações para entrada no mercado internacional A diversidade da indústria paranaense se mostrou um diferencial
competitivo importante no ano da pandemia. Com a produção industrial estável em julho – a queda foi de apenas 0,3% na comparação com junho, segundo o IBGE – o setor encontra alternativas para manter os negócios girando. Uma delas é a exportação, cujo resultado acumulado até agosto (US$ 11,025 bilhões) marca uma variação de 0,07% em relação ao mesmo período de 2019. O dado representa certo grau de estabilidade, estimulado especialmente pela venda de soja para a China. Reinaldo Tockus, gerente executivo de Relações Institucionais e Assuntos Internacionais do Sistema Fiep, analisa a importância de investir em internacionalização: “Exportar é uma oportunidade para as empresas, pois diminui a dependência do mercado interno, gera lucros, economia de escala, melhoria no produto, maior credibilidade no mercado nacional e reconhecimento da marca internacionalmente”. Entre janeiro e agosto deste ano, o Porto de Paranaguá registrou movimentação total de cargas acima dos 38 milhões de toneladas. Ainda que os volumes exportados sejam altos, a entrada da indústria brasileira no mercado externo é tímida: em 2019, o país respondia por menos de 1% das exportações globais, segundo estudo feito pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). Cultura exportadora Afinal, o que separa a produtividade paranaense da competitividade no mercado internacional? “O principal desafio é a falta da cultura exportadora. Há um mito de que exportar é muito complicado, quando na verdade, requer preparação e planejamento estratégico. O potencial de mercado interno se torna um impeditivo. A empresa prefere vender para outros estados em vez de exportar, quando muitas vezes é mais barato exportar para um país vizinho pela logística, do que vender para o estado do Acre”, analisa Tockus. Vale destacar que em 2019 o estado fechou a balança comercial com saldo positivo: exportou US$ 16,4 bilhões e importou US$ 12,7 bilhões, de acordo com os números do Ministério da Economia. O saldo pode ser ainda maior nos próximos anos no que depender do Sistema Fiep. Por meio do CIN – Centro Internacional de Negócios, a federação auxilia empresas na preparação, facilitação de negócios e emissões de certificações para exportação. “Por meio do planejamento estratégico, é possível identificar todos os benefícios e desafios na exportação, com isso a empresa consegue verificar as potencialidades de mercado”, complementa o gerente executivo da área. Soluções para crescer O calendário de capacitações empresariais do Sistema Fiep com foco em internacionalização oferece cursos sobre os mais diversos temas a partir deste mês. As inscrições estão abertas e todos os encontros serão on-line. Redução de custos, tributação, negociação e exportação via e-commerce são alguns dos temas selecionados pela equipe de consultores do CIN. “Os treinamentos viabilizam o aprendizado em vários temas imprescindíveis para o entendimento, operacionalização e planejamento das exportações. Temos agenda durante todo o ano, e atualmente estamos realizando capacitações on-line”, explica Reinaldo Tockus. Para fortalecer a cultura exportadora do Paraná, o CIN também oferta consultorias estratégicas, estudos de mercado, encontros de negócios e missões internacionais; além de apoio para desembaraço burocrático, como emissão de certificados de origem e declaração de livre venda. Independentemente do momento em que a empresa esteja na cadeia exportadora, há muitos caminhos para explorar. “A internacionalização de empresas tanto pode ser a presença física no exterior, por meio de distribuidores locais, representantes exclusivos, escritórios, loja física ou fábrica, quanto o processo de exportação de mercadorias, sendo este último o mais comum entre as empresas”, finaliza o gerente executivo. Saiba mais sobre o CIN neste link. Descubra o que o Sistema Fiep tem para a sua indústria.
Ler 33 vezes