Terça, 22 Setembro 2020 14:00

Justiça do RS condena dois bombeiros por concessão irregular de alvará à boate Kiss


Decisão acatou pedido do Ministério Público que recorreu após Daniel da Silva Adriano e Altair de Freitas Cunha serem inocentados em primeira instância pelo mesmo crime. Casa noturna pegou
fogo na madrugada de 27 de janeiro de 2013, matando 242 pessoas. Prédio da boate Kiss em Santa Maria Reprodução/RBS TV O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul aceitou recurso do Ministério Público e condenou dois bombeiros pela concessão irregular de alvará à boate Kiss, em Santa Maria, na Região Central do estado. Daniel da Silva Adriano e Altair de Freitas Cunha haviam sido inocentados em primeira instância pelo mesmo crime, mas foram condenados após o MP recorrer. Na mesma decisão, publicada na sexta-feira (18) e divulgada nesta terça (22), as penas de outros dois bombeiros foram aumentadas. A casa noturna pegou fogo na madrugada de 27 de janeiro de 2013, matando 242 pessoas e deixando centenas de feridos. Leia tudo sobre o Caso Boate Kiss De acordo com a decisão judicial, Daniel da Silva Adriano, ex-chefe da seção de prevenção de incêndio do Corpo de Bombeiros, de Santa Maria, e Altair Freitas Cunha, ex-comandante do 4º comando regional de Bombeiros, tiveram os direitos políticos suspensos por três anos e foram proibidos de firmar contratos e receber benefícios ou incentivos fiscais do poder público. Além disso, os dois ainda terão que pagar uma multa. Outros dois profissionais, Moisés da Silva Fuchs, ex-comandante dos bombeiros, e Alex da Rocha Camilo, ex-chefe da seção de prevenção de incêndio, permaneceram com a pena de não firmar contratos públicos, nem receber incentivos fiscais por três anos. Porém, tiveram a pena de suspensão dos direitos políticos aumentada para quatro anos, além de multa com valor maior. Os quatro réus foram condenados por atos de improbidade administrativa. Sete anos após incêndio na boate Kiss, primeiro réu será julgado Julgamentos Os quatro réus no caso do incêndio da boate Kiss — Elissandro Callegaro Spohr, Mauro Londero Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão — serão julgados em um único júri, em Porto Alegre. A decisão foi tomada na quinta-feira, 10 de setembro pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que acolheu, por dois votos a um, o pedido do Ministério Público pelo desaforamento de Santa Maria, na Região Central, para a Capital. Justiça decide que réus do incêndio na boate Kiss sejam julgados juntos em Porto Alegre
Ler 47 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.