Segunda, 21 Setembro 2020 16:42

Amigos lamentam morte de mãe e filho por Covid-19 em intervalo de 8 horas: 'As crianças adoravam ela', diz professora de SC


Erenita Isotton, de 60 anos, era educadora e o filho dela, Ademar Isotton Júnior, de 32 anos, trabalhava de motorista na Secretaria de Saúde. Eles morreram em Xanxerê em
intervalo de oito horas após ficarem quase duas semanas na mesma UTI. Mãe e filho morrem de coronavírus com intervalo de oito horas em Xanxerê Amigos e colegas de trabalho de Erenita Isotton, de 60 anos, e Ademar Isotton Júnior, de 32 anos, lamentaram a morte de mãe e filho vítimas da Covid-19 em um intervalo de 8 horas em Xanxerê, no Oeste catarinense. A professora Neusa Luiz conhecia os dois. Erenita foi uma de suas colegas de trabalho e Ademar, um de seus alunos. Ela recorda que ambos eram conhecidos pelo companheirismo e bom humor. “Ela era maravilhosa, as crianças adoravam ela na creche, na escola também quando ela trabalhou comigo. Dentro da comunidade também, uma pessoa maravilhosa”, disse. Sobre Junior, como Ademar era chamado pelos amigos, Neusa diz que a lembrança que tem é de um rapaz batalhador. Lembrança compartilhada também por Marcia Puccini, colega de trabalho de Ademar, que trabalhava como motorista da Secretaria Municipal de Saúde. “Um grande ser, uma pessoa jovem que dos 32 anos de vida, 10 ele dedicou ao trabalho com amor, com respeito, responsabilidade, sempre com um sorriso no rosto, acolhendo os pacientes, fazendo com amor e comprometimento até os últimos momentos”, lembrou. Mãe e filho com coronavírus morreram em intervalo de 8 horas no Oeste de SC Redes sociais/Reprodução Erenita era professora do ensino infantil há 30 anos e estava dando entrada no processo de aposentadoria. Ela morreu na noite de sábado (19), oito horas antes da morte do filho Ademar Isotton Júnior, que também morreu vítima da doença. Ambos estavam internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital São Paulo em Xanxerê.. Sandra da Paz, que também conheceu Erenita durante sua trajetória na educação, conta que ela chegava na escola sempre feliz. “Uma pessoa sempre alegre, de bem com a vida. Chegava todas as manhãs, cumprimentava as colegas, sempre alto astral”, lembra. “Era uma pessoa do bem, sempre procurava ajudar, fazer pelo melhor para a educação infantil”, diz outra colega de trabalho, Janete Mocellin. Além do amor pela educação, a preocupação com a cultura é recordada por Nilze Debona, que também chegou a trabalhar com Nita, como carinhosamente a professora falecida era chamada. Erenita também trabalhou na Secretaria municipal de Cultura, onde contribuiu para a criação do Museu do Milho na cidade. “Foi uma das primeiras pessoas que começou a trabalhar em favor do museu, que começou a arrecadar os objetos juntos com a nossa equipe, ela ajudou a montar esse museu”, conta. MÉDIA MÓVEL: veja como estão os casos e mortes em SC PANDEMIA NAS CIDADES: consulte casos e mortes em cada município Veja aqui todas as regras das portarias estaduais Veja os vídeos do Jornal do Almoço de SC: Initial plugin text Veja outras notícias do estado no G1 SC
Ler 56 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.