Big Banner Hospedagem de Site 1360x150
Sexta, 18 Setembro 2020 18:22

Congresso peruano abre votação de impeachment do presidente 

Avalie este item
(0 votos)
Congresso peruano discute nesta sexta a votação do impeachment de Martín Vizcarra Reprodução/ Twitter/ @congresoperu

O Congresso do Peru abriu nesta sexta-feira a votação final do processo que pode levar ao impeachment do presidente do país, Martin Vizcarra, acusado de "incapacidade moral permanente" por aparentes tentativas de esconder um caso de corrupção.

A princípio, a iniciativa não tem os votos necessários para retirar o presidente do poder.

Embora tenha sido informado inicialmente que Vizcarra não iria à votação no Congresso, algo que não era obrigatório, ele por fim compareceu poucos minutos antes do início da sessão.

Leia mais: Peru: presidente do Congresso ligou para militares antes de votação

Estimativas baseadas em declarações públicas de parlamentares sugerem que apenas um dos nove partidos representados no Congresso, o União pelo Peru, apóia abertamente o impeachment.

Porém, a legenda conta com apenas 13 votos, e são necessários 87 para que Vizcarra seja cassado.

Apoio no Congresso

O Aliança para o Progresso (APP), que votou pela abertura do impeachment, confirmou através de seus líderes e porta-vozes que agora não apoia mais a cassação, assim como o Somos Peru, o Força Popular e o Partido Morado.

O Ação Popular e o Podemos Peru, que também foram entusiastas do impeachment, agora não parecem dispostos a votar em bloco a favor, enquanto o partido evangélico Frepap e o esquerdista Frente Ampla não revelaram orientação para suas bancadas, mas não é esperado que apoiem a medida.

O julgamento político de Vizcarra recebeu ontem aprovação do Tribunal Constitucional, que se recusou a suspender o processo enquanto a Suprema Corte decide se o Congresso tem o poder de usar o argumento da "incapacidade moral" para afastar o presidente.

Este foi um pedido do Poder Executivo, que alega que o uso do conceito de "incapacidade moral", contido na Constituição, tem interpretação tão ampla que possibilita a adoção de qualquer pretexto pelo Congresso para derrubar um presidente.

Caso Swing

O Congresso apresentou uma moção para retirar Vizcarra do cargo como resultado de três áudios divulgados na semana passada e nos quais o presidente peruano é ouvido orientando assessores dele a mentirem em um inquérito sobre seu vínculo com o cantor Richard Swing desde que foi empossado, em 2018.

O artista é investigado por supostamente ter se beneficiado de contratos com o governo por meio do Ministério da Cultura. Swing foi pago para prestar um trabalho de consultoria que, segundo a oposição, seria fraudulento.

Ler 21 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.