Big Banner Hospedagem de Site 1360x150

Na intimidade

Quarta, 02 Outubro 2019 17:55

Sua barba é mais suja do que o pelo de um cachorro - e a ciência pode provar

Avalie este item
(0 votos)

Em uma aposta sobre quem é mais limpo, seu palpite seria seu cachorro ou você? A resposta, de acordo com a ciência, pode te surpreender, já que um estudo publicado no

periódico científico European Radiology - o jornal oficial da Sociedade Europeia de Radiologia - descobriu que a barba dos homens carrega mais microrganismos patogênicos que os melhores amigos deles, os cães.

Homem barbado conversando com seu cachorro, da raça labrador
shutterstock
O seu cachorro provavelmente é menos nocivo para a saúde do que a sua barba, de acordo com as descobertas do estudo

A descoberta foi por acaso. Uma equipe fazia testes para verificar se seria higiênico e seguro colocar cachorros em uma máquina de ressonância magnética antes de atender um paciente humano quando percebeu que a barba pode ser muito mais suja do que você imagina.

Andreas Gutzeit, membro do departamento de radiologia da Paracelsus Medical University em Salzburgo e do Instituto de Radiologia e Medicina Nuclear da Hirslander Klinik St. Anna, e outros 12 pesquisadores coletaram amostras de 30 cachorros e 18 humanos, colocando-as sobre diferentes aparelhos de ressonância para a realização do estudo.

No total, dos 30 cães avaliados nos testes, 23 apresentaram uma alta concentração bacteriana. Já para os humanos, a coisa ficou muito mais séria: todas as 18 cobaias apresentaram altas taxas de bactérias em suas amostras.

Sua barba pode ser um problema sanitário maior que o seu cão

Homem com barba sujo de graxa limpando o suor
shutterstock
No geral, os homens tinham maior concentração de bactérias patogênicas que os cães, e a barba era o principal problema

Além disso, enquanto microrganismos patogênicos humanos - isto é, causadores de doenças transmissíveis para o homem - foram encontrados no pelo de apenas 4 dos 30 cães, eles apareceram nos pelos faciais de 7 cobaias barbados.

Ou seja, enquanto somente 13% dos cachorros tinham bactérias e outros microrganismos causadores de doenças para os seres humanos no pelo, a proporção ia para 39% no caso dos homens barbudos.

Dessa forma, os autores do estudo concluíram que os cães não apresentam risco para os seres humanos se forem colocados num aparelho de ressonância magnética, já que eles são mais "limpos" até que a barba de um homem comum.

Ler 195 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.