Imprimir esta página
Terça, 20 Setembro 2016 19:29

Após 11 dias, abastecimento de água é normalizado em Ji-Paraná, RO

Bomba foi substituída para solucionar problema de falta de água (Foto: Agerji/Divulgação)

Depois de 11 dias, o abastecimento de água no 1º distrito de Ji-Paraná (RO), a 370 quilômetros de

Porto Velho, foi normalizado na última terça-feira (20). Moradores da região reclamavam da falta do recurso desde o último dia 9, quando uma das bombas de captação queimou. O equipamento foi substituído por um reserva, mas, a distribuição continuava irregular. Entretanto, novos ajustes técnicos foram feitos na bomba que foi substituída e o problema foi resolvido.

A falta de água no município começou no dia 9 de setembro, quando a bomba principal responsável pelo abastecimento queimou. O diretor técnico da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd), Mauro Berberim, acredita que um dos motivos que pode ter ocasionado o problema na bomba é o excesso de algas que são captadas junto com a água nesta época do ano, por causa da incidência solar.

Para tentar solucionar o problema da falta de abastecimento, uma bomba reserva de menor potência, que estava em Porto Velho, foi encaminhada para Ji-Paraná e instalada no dia 11 de setembro. A expectativa era que o abastecimento fosse normalizado no dia 12.

Entretanto, a bomba reserva instalada não estava adequada às necessidades de captação e por isso, o abastecimento continuou irregular. O problema se estendeu até a última terça-feira, quando uma equipe da Caerd fez novas adaptações na bomba substituta, voltando ao normal a distribuição de água. Além dos ajustes feitos, de acordo com  Berberim, com a chuvas que tem acontecido nas cabeceiras do Rio Machado, a proliferação de algas não atingirá em grandes proporções a nova bomba instalada.

Na manhã desta quarta-feira (21), a  Agência Reguladora de Serviços Públicos de Ji-Paraná (Agerji) confirmou que o abastecimento de água foi normalizado.

De acordo com o diretor da Agerji, Clederson Viana, ele esteve em contato com a população de alguns bairros, que relatou que o problema ocorrido. Ele explica que a Caerd ultrapassou o prazo para que o abastecimento fosse normalizado. Segundo Viana, após a regularização da distribuição, será dado início aos procedimentos administrativos de aplicação de penalidades à concessionária. "A penalidade maior é multa ou isenção tarifária aos clientes, mas isso ainda será estudado", explica.

A equipe do G1 entrou em contato com a direção da Caerd, que informou que aguarda a notificação da Agerji para que possa se pronunciar sobre o assunto.

 

Ler 40 vezes