Sinteac perde carta sindical para representar professores da Educação Básica

REPÓRTER OPINIÃO  O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac), a mais antiga instituição representativa da categoria de educadores no estado, sofreu um duro revés nesta quinta-feira, 23, com uma publicação no Diário Oficial da União (DOU) que oficializa o registro sindical do novo Sindicato dos Professores da Educação Básica da Rede Pública […]

Sinteac perde carta sindical para representar professores da Educação Básica

REPÓRTER OPINIÃO 

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac), a mais antiga instituição representativa da categoria de educadores no estado, sofreu um duro revés nesta quinta-feira, 23, com uma publicação no Diário Oficial da União (DOU) que oficializa o registro sindical do novo Sindicato dos Professores da Educação Básica da Rede Pública de Ensino do Estado do Acre (Sinproac).

A nota técnica foi emitida pela Coordenadoria-Geral de Registro Sindical, entidade responsável em todo o país pelo deferimento ou indeferimento de registros para a criação de novos sindicatos. 

A mesma decisão no DOU, que tem como base Análise Técnica nº 1263 (254565700) também exclui a mesma categoria dos professores da Educação Básica do quadro de filiados do Sinteac. Portanto, o Sinteac perdeu o direito de representar a categoria de professores da Educação Básica na capital, Rio Branco, e em todo o interior do estado do Acre.

A perda da representação também foi relatada pela Secretaria de Relações do Trabalho, do Ministério do Trabalho e Emprego, em seu cadastro ativo. 

Há rumores de que a classe estaria inconformada com a forma como eram representados pelos dirigentes do Sinteac, assim como já é também o pensamento dos servidores técnico-administrativos, conhecido por de apoio, que estariam reunidos na tarde desta quinta-feira, 23, para definir a data de uma assembleia que vai tratar também de suas desfiliações. 

A informação é a de que eles não se sentem representados pelo Sinteac, a exemplo do pensamento dos professores da Educação Básica, que agora terão seu próprio sindicato. Não há uma estimativa de quantos profissionais deixarão de contribuir com a instituição, mas acredita-se que hoje o Sinteac tenha uma arrecadação mensal de R$ 400 mil com seus filiados.