Tenente do Exército que atirou contra o marido é indiciada em SP

Karina de Freitas Fogolin Reprodução/ Record Tv A tenente do Exército Karina de Freitas Fogolin, de 41 anos, que atirou contra o próprio marido, Bruno Piva Júnior, de 52 anos, em um bairro nobre da cidade de Praia Grande, litoral de São Paulo, foi indiciada pela polícia nesta quarta-feira (26). O caso ocorreu em dezembro do ano passado, quando o casal brigou na garagem do imóvel onde residem. Imagens de uma câmera de segurança registraram o momento em que a mulher teria atirado contra o marido, que estava com a filha adolescente, entrando dentro do carro na porta da residência. A tenente aparece no momento em que o marido estava ferido no chão e presta socorro simulando que alguém teria atirado contra ele, até que vizinhos chamaram a polícia. O empresário morreu depois de mais de 50 dias no hospital. Veja também São Paulo Corpo é encontrado em lanchonete na estação Barra Funda, em SP São Paulo Acusado de racismo no RJ, vereador de SP tira redes sociais do ar São Paulo Mais de 1,3 mil porções de drogas são apreendidas na Grande SP De acordo com a polícia, a autora dos disparos ainda tentou enganar os agentes, dizendo que o empresário tinha sido vítima de um assalto, mas acabou confessando o crime na delegacia de Praia Grande onde o caso foi registrado.

Tenente do Exército que atirou contra o marido é indiciada em SP
Karina de Freitas Fogolin
Karina de Freitas Fogolin Reprodução/ Record Tv

A tenente do Exército Karina de Freitas Fogolin, de 41 anos, que atirou contra o próprio marido, Bruno Piva Júnior, de 52 anos, em um bairro nobre da cidade de Praia Grande, litoral de São Paulo, foi indiciada pela polícia nesta quarta-feira (26).

O caso ocorreu em dezembro do ano passado, quando o casal brigou na garagem do imóvel onde residem. Imagens de uma câmera de segurança registraram o momento em que a mulher teria atirado contra o marido, que estava com a filha adolescente, entrando dentro do carro na porta da residência.

A tenente aparece no momento em que o marido estava ferido no chão e presta socorro simulando que alguém teria atirado contra ele, até que vizinhos chamaram a polícia. O empresário morreu depois de mais de 50 dias no hospital.


De acordo com a polícia, a autora dos disparos ainda tentou enganar os agentes, dizendo que o empresário tinha sido vítima de um assalto, mas acabou confessando o crime na delegacia de Praia Grande onde o caso foi registrado.