YouTube planeja recursos envolvendo NFTs, diz presidente-executiva

Líder da plataforma disse que a empresa está 'buscando expandir o ecossistema para ajudar os criadores a capitalizar as novas tecnologias'. Logo do YouTube REUTERS/Lucy Nicholson O YouTube planeja adicionar recursos relacionados com os NFTs (tokens não-fungíveis, na sigla em inglês), que explodiram em popularidade em 2021, e se referem a um selo digital que pode ser associado a uma foto, um vídeo ou qualquer tipo de arquivo digital. Em uma carta divulgada na última terça-feira (25), a presidente-executiva da plataforma, Susan Wojcicki, disse que a empresa está "buscando expandir o ecossistema para ajudar os criadores a capitalizar as novas tecnologias, incluindo os NFTs". LEIA MAIS 'NFT' foi eleita a palavra do ano 2021 pelo dicionário Collins NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’ "Estamos nos preparando para o futuro, seguindo todas as novidades relacionadas à Web 3.0 como inspiração para continuarmos inovando no YouTube", escreveu. Ainda não está claro quais funcionalidades o YouTube pretende lançar ou quando elas estarão disponíveis. Essa é a primeira vez que um produto do Google fala abertamente em se envolver com tecnologias relacionadas à criptomoedas. Os NFTs são registrados pelo sistema blockchain, a mesma tecnologia de criptomoedas, moedas digitais, como o Bitcoin. Ela funciona como um grande livro contábil, que vai registrando transações e registros, sempre com criptografia. Alguns conteúdos famosos no YouTube ganharam um registro NFT e foram leiloados por centenas de milhares de dólares – como o vídeo "Leave Britney Alone", feito por fã de Britney Spears, que foi vendido por US$ 44,4 mil. Recentemente, a versão paga do Twitter incluiu uma opcao para colocar um NFT como foto de perfil e passou a destacar as pessoas que têm o item digital. Há especulações de que o Instagram também esteja trabalhando em integrações com essa tecnologia. Entenda o NFT: NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’

YouTube planeja recursos envolvendo NFTs, diz presidente-executiva

Líder da plataforma disse que a empresa está 'buscando expandir o ecossistema para ajudar os criadores a capitalizar as novas tecnologias'. Logo do YouTube REUTERS/Lucy Nicholson O YouTube planeja adicionar recursos relacionados com os NFTs (tokens não-fungíveis, na sigla em inglês), que explodiram em popularidade em 2021, e se referem a um selo digital que pode ser associado a uma foto, um vídeo ou qualquer tipo de arquivo digital. Em uma carta divulgada na última terça-feira (25), a presidente-executiva da plataforma, Susan Wojcicki, disse que a empresa está "buscando expandir o ecossistema para ajudar os criadores a capitalizar as novas tecnologias, incluindo os NFTs". LEIA MAIS 'NFT' foi eleita a palavra do ano 2021 pelo dicionário Collins NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’ "Estamos nos preparando para o futuro, seguindo todas as novidades relacionadas à Web 3.0 como inspiração para continuarmos inovando no YouTube", escreveu. Ainda não está claro quais funcionalidades o YouTube pretende lançar ou quando elas estarão disponíveis. Essa é a primeira vez que um produto do Google fala abertamente em se envolver com tecnologias relacionadas à criptomoedas. Os NFTs são registrados pelo sistema blockchain, a mesma tecnologia de criptomoedas, moedas digitais, como o Bitcoin. Ela funciona como um grande livro contábil, que vai registrando transações e registros, sempre com criptografia. Alguns conteúdos famosos no YouTube ganharam um registro NFT e foram leiloados por centenas de milhares de dólares – como o vídeo "Leave Britney Alone", feito por fã de Britney Spears, que foi vendido por US$ 44,4 mil. Recentemente, a versão paga do Twitter incluiu uma opcao para colocar um NFT como foto de perfil e passou a destacar as pessoas que têm o item digital. Há especulações de que o Instagram também esteja trabalhando em integrações com essa tecnologia. Entenda o NFT: NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’